Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

09 de Abril de 2014

NÃO CABEMOS EM UM VAGÃO

Comprar a ideia do vagão separado é partir do pressuposto de que o problema é a mulher e que ela é quem deve ser segregada, enquanto os assediadores ficam soltos por aí. É legitimar que ela é quem provoca o assédio. É dizer que os homens são animais incapazes de civilidade, incapazes de respeito, incapazes de controle. 

Esses assédios não têm nada a ver com desejo; tem a ver, sim ...

continue lendo...

24 de Março de 2014

16 de Março de 2014

O romance e o protagonismo das mina

Me cansa bastante ver as pessoas criticando a produção de mulheres com temática romântica. Já é difícil criar, já é difícil escrever, já é difícil conseguir transpor as barreiras do preconceito de ser mina. Tudo é difícil. Quando um homem produz algo com essa mesma temática, ninguém questiona a qualidade, ninguém diminui, todos ficam maravilhados com a sensibilidade do artista. Quando é feito por uma mulher, é, bom, "coisa de ...

continue lendo...

04 de Março de 2014

CARNAVAL 2014


muito gorda muito magra muito musculosa muito pelada muito negra muito gorda muito negra muito pelada muitomuitomuito musculosa pelada gorda magra e arruma esse cabelo gorda gorda parece um homem exagerou deixou escapar mostrou demais muito gorda magra forte gorda. 

deixem os corpos das mulheres em paz, por misericórdia.

continue lendo...

09 de Fevereiro de 2014

A filha dos caras do Tangos e Tragédias

Quando eu estava na escola, diziam que eu era "filha dos caras do Tangos e Tragédias". E olha, não estavam incorretos. 

O Tangos começou quando eu tinha quatro anos. Eu literalmente cresci com eles, a temporada do São Pedro era uma parte tão natural da minha vida quanto os verões em Imbé eram para as outras crianças. Eu corria pelos corredores, eu assistia todos os dias, eu morria de orgulho ...

continue lendo...

27 de Janeiro de 2014

quando a coisa fica ruim


jogue os dados 

se você for tentar, vá até o 
fim. 
senão, nem comece. 

se você for tentar, vá até o 
fim. isso pode ser perder namoradas, 
esposas, parentes, empregos e 
talvez sua cabeça. 

vá até o fim. 
isso pode ser não comer por 3 ou 
4 dias. 
pode ser congelar em um 
banco de praça. 
pode ser cadeia, 
pode ser o ridículo, 
chacota, 
isolamento. 
isolamento é a benção. 
todo ...

continue lendo...

20 de Janeiro de 2014

Coisa de vagabunda

Isso é coisa de vagabunda. Mulher que se dá o respeito não anda assim. Não faz isso. Não bebe, não anda pela rua com homem. Mulher que se dá o respeito não fala assim. É feio. É sujo. Mulher não pode ser suja, mulher tem que ser delicada, tem que ser comportada. Mas sensual. Mas não muito. Tem que saber fazer o jogo do esconde-revela. Tem que saber seduzir, a ...

continue lendo...

 

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*