20 de Abril de 2011

101

descubro agora que o amor de hoje é o mesmo de sempre, mesmo de ontem, mesmo de dez anos atrás. desdobro fotos e sinto o sangue correr, a eletricidade na ponta dos dedos, uma saudade inevitável do que eu sempre tive certeza, do que já estava lá antes que eu soubesse. acho que o amor é isso, a descoberta um sentimento tão vasto e imensurável que sempre esteve lá, um pedaço de mundo a ser achado pra nunca mais se perder. e é aí que eu tenho certeza de que o que eu sinto vai me guiar sempre. o que eu penso pode me enganar, mas quando as entranhas gritam não há tempo que cale.

grande amor da minha vida: eu só acredito em você. que as pregas do resto do mundo infeccionem.


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*