11 de Outubro de 2013

adelante!

minha vida esse ano foi difícil. difícil com grana, com convivências, com responsabilidades, com tudo. eu quase tive vários pequenos trecos de estresse. mal escrevi. mal saí. mal senti. mal vivi. a única coisa que eu sentia era um desespero e um medo incrível de que nada nunca mais se resolvesse. 

um dia eu estava na lapa e uma moça veio perguntar: você abandonou a ficção? só escreve sobre feminismo? e aquilo me deu um aperto. não que eu não goste, eu amo escrever sobre feminismo. eu quero, eu preciso, eu não vou parar. mas eu realmente tinha parado com a minha produção literária há anos. anos. tudo parado. terminei um livro que comecei em 2007 no automático (logo mais ele sai), só porque precisava seguir em frente. não era nada *novo*. no último mês aconteceu alguma coisa e os nós foram se desatando. eu não sei se foi alguma decisão que eu tomei sem perceber ou o que, mas coisas novas surgiram na minha vida de todos os lados e eu voltei a escrever. escrever mesmo. não escrever um começo e desencanar. eu tenho uns doze começos sem rumo. 

agora veio. e veio bem, e não vai parar. 

eu ia escrever alguma coisa muito brega como "obrigada, vida", mas não. não foi vida nenhuma, foi um longo processo meu que durou anos, um processo em que eu estava botando meus pedaços de volta no lugar depois de muita cagada. sem estar inteira, não tinha como criar. cada um tem seu processo, tem gente que consegue criar na merda. eu não. eu estava seca. 

isso tudo só pra dizer que: agora vai.

e vai aqui, ó:

----------> toda sexta eu vou publicar um capítulo novo <------------


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*