16 de Março de 2012

coisas frágeis

não, o tempo nao destrói tudo. o tempo só destrói as coisas frágeis, desossa as fraquezas e consome a carne. o tempo muda todas as coisas porque nada estagnado pode durar muito. mas pode durar um pouco. tudo pode durar um pouco. ninguém precisa viver descrente porque sabe do fim. todo mundo sabe do fim, o tempo todo ele está lá, desde o primeiro segundo. mas entre o começo e o fim dá pra ter vidas e vidas, milhares delas e fragmentos de outras milhares de coisinhas dentro de outras milhares de coisinhas ad infinitum ad eternum. e viu, as coisas frágeis, mesmo elas podem durar. a gente que escolhe se vai pisotear e jogar pela janela ou cuidar direitinho, cuidar até que seja a hora da coisa frágil morrer. não há sentido em destruir as coisas frágeis - já que o tempo mesmo vai se encarregar delas, não é? eu acho. eu acho isso aí. cuida. cuida senão murcha, morre e nem o tempo destrói a memória destruída. cuida. antes que


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*