28 de Março de 2011

fica, vai dar merda

sabe quando você acorda com aquela sensação de que vai dar uma merda?

hoje eu tinha uma palestra em belorizonte. quem me chamou foi o guaracy, vulgo guará, amigo querido e colega de casa de um outro amigo querido, o flávio de castro.

então. daí o porteiro do prédio não conseguia achar um táxi e desencanou. só esqueceu de me avisar. depois de vinte minutos esperando no hall de entrada eu fui perguntar do táxi. "aé, não encontrei nenhum".

Q

pedi pra ligar de novo. ele surpreendentemente encontrou um táxi em menos de um minuto. que incrível, hein. demorou mais dez pra chegar. nisso eu já tinha perdido meia hora e já devia estar no aeroporto. imaginei que fosse perder o vôo. não estava mesmo conseguindo me visualizar lá. sei explicar não. comentei isso com @alesie. ela disse:

"se deus quiser, você vai. deixa na mão dele"

"mas tem que ir até o aeroporto?"

"tem. ele não sabe seu telefone."

bom. peguei o táxi e fui. trânsito. se o vôo atrasasse, talvez eu conseguisse chegar. não atrasou. tinha outro. não deu pra pegar. liguei pra produção lá pedindo pra remarcar. ok. remarcaram. estou resumindo, mas estamos falando aqui de vários telefonemas e várias balconistas envolvidas, além da agência de viagens. sentei lá. um cara me ofereceu a coca que ele estava bebendo (?). desejei meus fones. não uso mais fones no aeroporto porque já peguei um avião errado por causa disso - desci em curitiba pra trocar de avião e quase fui parar no rio de janeiro em vez de voltar pra são paulo. já não ouvi portão sendo mudado - nem sei porque ainda imprimem o portão no cartão de embarque, sempre mudam essa merda. já perdi última chamada para embarque. enfim. sem fones no aeroporto.

esperei.

eis que me ligam e dizem para que eu me dirija ao balcão de check-in 01 da tam. fui. tinha lá uns agentes de viagem. nenhum deles estava com meu cartão de embarque. meu e-ticket ainda constava como a passagem anterior e meu vôo estava encerrando o embarque. ouvia meu nome sendo ultimamente chamado no portão x, mas sem o cartão de embarque não adiantava, né. podia tentar embarcar com o papel do pão de queijo, mas a @rosana depois me disse que não ia funcionar, ela uma vez tentou mas a galera percebeu e ela teve que procurar o bilhete no lixo.

os agentes tentavam freneticamente encontrar minha passagem. nada.

ao mesmo tempo, vem um dos agentes com um papelzinho e diz: é este?

ESTE O QUÊ? sério.

aí eu já tinha perdido o outro vôo. sem palestra hoje. aviso quando souber a nova data.

tinha que ser segunda-feira, né?

pelo menos já tem mais uma história pra contar.


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*