19 de Setembro de 2013

me larga, me deixa

eu não aguento mais essa cidade. eu não aguento mais. eu te amei, são paulo, eu tentei superar nossas diferenças, eu tentei me ater ao nosso longo e duradouro relacionamento aberto. tentei ver tudo que você tem de bom, e eu sei que você tem, você sabe ser maravilhosa, querida, você sabe mesmo, não é à toa que tem tanta gente buscando você com tanto desespero. mas você também é muito boa em ser cruel. você não anda quando chove, você não respira quando seca, suas veias e artérias vivem entupidas com as luzes vermelhas dos carros indo e as brancas dos carros vindo, você grita, são paulo, você grita nos meus ouvidos e eu não consigo mais dormir, eu não consigo mais, eu não quero mais. e o meu dinheiro, são paulo, você engole o meu pouco dinheiro sem vergonha alguma, você tritura minhas moedas com seus dentes gastos e ri da minha cara, você ri de mim. eu achei que ia te domar, achei que ia sentar no seu topo, lá onde dá pra ver o horizonte, e rir segurando a sua mão, mas nada disso aconteceu. já estamos assim há doze anos e eu estou sufocada. eu estou sufocada e não aguento mais. eu preciso de um tempo, pelo menos um tempo pra pensar. preciso de um tempo no rio, me larga, são paulo, me deixa ir. não é você. somos nós. é ele, é o rio me chamando cada vez mais alto. me larga que eu volto.

mentira.
não sei.

mas eu não aguento mais. 


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*