27 de Fevereiro de 2011

psicopatia inquestionável

e aí que um psicopata atropelou deliberadamente um grupo de ciclistas na sexta-feira. de li be ra da men te.

não tem explicação, não tem desculpa, não tem argumento. tem nome: tentativa de assassinato.

eu nunca tinha ouvido falar da massa crítica. sim, sou gaúcha mas moro em são paulo desde 2001 e visito a cidade de vez em nunca. não poderia imaginar maneira pior para saber da existência do grupo.

as matérias que pipocam a respeito insistem no termo "acidente". a polícia está tratando o caso como "lesão corporal culposa", ou seja, sem intenção de ferir ninguém. WOT? um delegado criticou o movimento como se eles estivessem "pedindo" pra dar merda, frisando que deveriam ter avisado a brigada militar e a EPTC (empresa pública de transporte e circulação). ah, então foi por isso que um demente fez um strike em humanos e fugiu? porque não tinha ninguém pra organizar? isso tira o peso do que aconteceu? não. ok. então encontrem esse senhor (o carro já encontraram, abandonado) e prendam. já sabem quem é. já sabem onde mora. não tem como abafar o caso.

não consigo entender essa perspectiva de que enfiar o pé no acelerador em direção a um grupo de pessoas é acidente.

*adendo* acabo de ficar sabendo que a polícia disse ESPERAR QUE O CULPADO SE APRESENTE. OI? COMO ASSIM? traduzindo: vão deixar o cara fugir e arrumar desculpinha? porra, brasil.

*adendo 2* o advogado do demente entrou em contato com a polícia e disse que amanhã o cliente "prestará esclarecimentos". CEJURA? vai dizer o quê, exatamente? "sei lá, de repente fiquei com uma vontade louca de matar umas pessoas" ou "poxa, gente, tava com muita pressa" ou ainda "é que eu tinha fumado umas pedras de crack e estava muito louco, foi mal"? alguém esclarece praquele senhor que não existe esclarecimento possível? grata.


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*