27 de Maio de 2009

sai dessa

bom, meu aniversário foi o pior dia do ano e o pior da vida, não dormi, passei o dia chorando no cantinho do quarto não atendendo telefonemas e à noite teria que jantar na casa do meu ex-sogro. eles foram muito gentis e prepararam toda uma comemoração, mas eu estava tendo uma crise depressiva de 30 anos e solidão e só conseguia ficar na minha espiral negativa pensando merda. ver minha filha, em vez de me fazer bem, me deixou pior porque vi que estou longe de ter condições de cuidar dela. quase tive uma crise de pânico e vi que ainda falta muito remédio e muita psicanálise pra eu voltar a ser o que eu era quando eu era eu. porque esta pessoa frágil de 55 quilos esfarelando e com o canal lacrimal descontrolado que fica três dias sem banho deitada no quarto fumando sem comer não tem nada a ver comigo. eu não sou isso. mas assim como tem nêgo pra acabar com a sua vida, tem nêgo pra salvar. um amigo meu que também se separou recentemente sacou que eu não poderia estar pior simplesmente veio me buscar em casa e me levou numa sauna que tem no flat onde ele está ficando junto com um uíscão - agora vi o lado de quem vai, porque eu sempre fico e eles vão e vão e vão - e olha, vou te dizer, metade dos encostos que estavam em mim foram embora. a outra metade vou ter que achar um centro de umbanda pra tirar. mas já valeu. o pai da minha filha também foi do caralho e falou um monte de coisas que eu precisava ouvir mas só consegui depois de três rivotril e meio maço de cigarro.
eu preciso sair daqui senão eu vou morrer. simples assim.
aqui sendo essa depressão fudida e esmagadora.
porque esta não sou eu.


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*