26 de Novembro de 2013

SEXO É APENAS SEXO

Mais uma menina exposta por um guri de merda. Mais uma. Mais uma vez milhares de pessoas culpam a vítima, mais uma vez chamam a menina de "burra" por "não ter se valorizado" e ter "confiado em quem não devia". Mais uma vez uma garota tem sua intimidade devassada por ter feito sexo. SEXO. SEXO. É APENAS SEXO. Ela não matou, não roubou, não enganou. Ela fez sexo. As pessoas fazem sexo. As pessoas trepam. Fodem. Metem. Se chupam. Se lambem. Suam. Gozam. E isso é uma coisa BOA. Não vou entrar no mérito das pessoas que escolhem não fazer sexo, pelo motivo que seja. Estamos falando das que fazem. Das mulheres que fazem sexo e automaticamente viram "vadias" porque um machistinha de merda decidiu revelar esse momento de intimidade. Porque pra ele não sobra nada. Ele é o espertão. Ele é o comedor. A menina? Burra. Vadia. Não se deu respeito, então não mereceu respeito. Que porra é essa de respeito seletivo? Eu não aguento mais ver isso acontecer. Eu não aguento mais ver mulheres tendo a vida destruída porque fizeram sexo. SEXO, GENTE. Sexo. Que desespero viver nesse mundo.


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*