31 de Março de 2013

the lost art of keeping a secret

eu fujo do amor como um gato instintivamente foge de um cão. arrepio diante da mera possibilidade. amor não, obrigada, amor eu passo. já deu tudo tão errado nessa vida que eu simplesmente desisti. eu não quero, eu não gosto, eu tenho medo. eu morro de medo. é a única coisa nessa vida que me dá medo. não tenho medo de altura, de mar, de ladrão, de fracasso, de morrer. mas eu tenho medo de me apaixonar. quisera eu que esse medo fosse alguma garantia; eu fujo, eu esfrio o coração, eu retorço as pernas com os braços cruzados e digo não, não, não. não adianta. nada adianta. ele chega e entra, a casa é dele e quando eu vejo já estou achando lindo mostarda na barba ou um dente tortinho ou um suspiro de cansaço e penso ah não, ah não, puta que pariu, de novo não. quando eu vejo estou com tanto medo que paro de respirar quando ele encosta em mim. tanto medo que a única coisa que eu consigo fazer é nada enquanto passo as mãos nos cabelos dele, tão espessos, tão escuros, todo tão lindo. eu fujo do amor como um gato de rua instintivamente foge de todo mundo, mas não consigo impedir esse coração idiota de bater por quem quiser. 

quando foi que eu virei essa bundona, não tenho certeza. 

 

cold hearted bitch's heart still beats a bit

but bitch doesn't want the beat to beat her brains

 

tum-tum 


Clara Averbuck é escritora

Instagram

  • Twitter
  • Facebook
  • RSS

Ilustrações: Eva Uviedo

hand made by: SENSO*